Uma Imagem Vale Mil Palavras, Mil Caracteres Uma Imagem

rubrica

Existem dias que parecem fazer-se sozinhos, em que as nuvens chegam cedo e tornam o céu da nossa vida em tons de cinza. Dias em que baixamos os olhos, pois existem tempestades que ainda aí estão e baixamos os olhos, porque sim…porque assim ela passa mais rápido, a tempestade e a vida também. É só mais um dia em tons cinza, daqueles que percorro sem voltar ao passado, com lembranças antes apagadas. Não há tempo de levantar os olhos, fica para trás a vida clara e calma não esquecida por inteiro, só bem arrumada, como cuecas e meias bem dobradas na gaveta, fica lá, guardada bem no fundo da gaveta da memória e basta uma coisa para voltar e lembrar… pode ser uma música, um cheiro, uma imagem, uma sensação, para dar cor ao coração, porque a vida…essa…continua veloz, cinza e triste… É tudo muito escuro, muito concreto, muito obtuso, fazemos pouca vida, pouca cor, pouco reflexo. Vivemos presos em rotinas e sussurros de futuro. Somos almas que não se olham nos olhos. Não há tempo, corremos, não há interesse, seguimos. Somos gentes solitárias que nos olhamos, mas não nos vemos.

<Texto de Paula Felgar para Imagem de Paulo Pimenta>