Uma Imagem Vale Mil Palavras, Mil Caracteres Uma Imagem #19

Sem categoria
Imagem de Paulo Pimenta

A mulher agarra a mala em que traz aquilo em que se tornou e caminha obsessivamente.  A origem deste caminhar está no dia em que recebeu a carta que dizia apenas: “Não foi como tu pensas”. Era um dia de sol e sentia a vida ligada a uma máquina de fazer as pessoas sorrirem sem questionarem.  Leu a carta, a dúvida foi instalada à força e a máquina parou.

O tempo passou e instalou-se nela o terror de se ter transformado numa dúvida que andava. Caminhava agora sem parar, tentando encontrar um lugar que pudesse ser resposta. Ansiava por ter a sua história de novo intacta para a conseguir contar em voz segura.  Pensava em todas as pequenas histórias. E, claro, pensava na grande história, a que não conseguia tocar mas que estava sempre lá.

Entrou numa casa, numa sala, num quadrado. O homem deu-lhe as instruções que seguiu sem questionar:  “pouse a carta no chão, pegue a carta com o peso que ela tem dentro de si, atire a carta para fora do quadrado. Regresse quando a carta voltar a crescer em si”, disse-lhe o homem. A mulher saiu do quadrado, da sala, da casa. Voltou à sua casa, ligou o fogão e depois a televisão.

Inês Aparício para uma imagem de Paulo Pimenta