Uma Imagem Vale Por Mil Palavras, Mil Caracteres Uma Imagem

rubrica

De cabisbaixo encontro-me na escuridão
Onde a luz de fora é iluminada
pela frincha da porta da nova morada
E a luz de dentro precisa de um guindaste
para que as costas se endireitem
E eu endireite a vida
Levo comigo o passado numa mala que coloco
agora ao ombro
eu sei que deveria passear com o presente
e não com o passado
mas a dor que trago no peito
anda comigo para todo o lado
e eu não sei viver de outro jeito
se não aquele que foi pintado
pelo meu estado.
Oh vida minha
leva-me embora
Quero varrer a casa
ouvir o meu anjo da guarda
E dançar como uma criança
No cabo da boa esperança.
Ofereço-te o lenço branco em troca
Do céu azul
puro
Para limpar esta sombra que me afronta
Não sei o que mais me incomoda
Se o chilrear estridente dos pássaros
Ou a música constante dos pensamentos
Ai Deus,
Acolhe-me no teu colo
Dá-me coragem para caminhar

com ou sem coração –
à procura do teu abraço
Nesta hora de solidão
Eu sei que tudo ficará belo
quando te encontrar
Na manhã de orvalho
E aí,
talvez eu já não me encontre nesta rua,
neste galho…
Talvez já não seja neste lugar…
Mas o que importa
é que nos vamos abraçar
E outra vida amar.

<Texto de Carla Sousa para Imagem de Paulo Pimenta>