«olá adeus» e duas cores a mudar tudo na magia da edição

Livros

– Sou do tempo ainda que os livros são apenas para ter letras! Claro.

– Mas, e as crianças que ainda não aprenderam a ler?

– Bem, essas têm outro tipo de livros…

– E não é possível ter livros para todos?

– Ah sim deve ser… mas, mas olhem eu não consigo ver qual é o “pequeno e o grande” neste livro chamado «olá adeus». Que raio de título… hum…

– É fácil avô. Primeiro tens de colocar os óculos, caso contrário não consegues ver os livros, com ou sem letras, nem as nossas caras.

– Ah… ainda não vejo, mas consigo ver duas meninas diferentes no Verão e Inverno! Ah ah, ou serão a mesma menina em duas estações do ano diferentes? Como é possível?

Avô, quando passas pela página inteira este rectangulozinho azul ele mostra-te uma coisa e com o rectangulozinho vermelho… exactamente o oposto dessa coisa.

– Mas tu já sabes o que são opostos?

– Já… já tenho 5 anos…

– E eu 15 avô!

– Nem me apercebi que estavam aqui os meus dois tesouros. Pois, e eu 83 anos e digo-vos… o que mais gosto é quando o azulinho deste livro da k… quê… esperem… já tenho os óculos… o que mais gosto é quando neste livro da Kalandraka consigo ver o poder do azul a limpar as lágrimas da pessoa que não está mais triste. Está contente pois, e o sorriso dela parece o da vossa mãe. Cada imagem esconde uma coisa e o seu oposto não é? Como eu… ora reparem bem.

cover.indd

<texto azul> nuno f. santos

<texto vermelho> cash