UMA IMAGEM VALE MIL PALAVRAS / MIL CARACTERES UMA IMAGEM#16

 

Final da tarde, o sol põe-se e assim também aqueles olhos, no chão.

O olhar vai fixo, mas não são pedras da calçada, aquilo que vê. É o oásis que vislumbra, no meio do deserto que é a sua vida durante o dia. Apressada, passos pequenos trancados pela saia justa pelos joelhos, faz tique taque, como um relógio.

Mala bem apertadinha debaixo do braço, tudo no lugar.

Numa iminente preocupação, o queixo que aponta para o chão.

Cabelos, que esvoaçam se soltos, bem apertados naquele lenço branco, impecavelmente dobrado. Em pensamentos metódicos e concentrados… cansaço… a lista de compras para o jantar, dar de comer ao gato, passear o cão. Apressa-te, mulher.

Naquela azáfama sai um sorriso escondido, uma satisfação. Cansada, sim. A casa e o marido aguardam-na. O gato esfrega-se nas portadas da janela, espreitando. O cão, aquela cauda inquieta, sempre que ouve passos na calçada, lá fora.

Vai, mulher. Abraça o teu marido. Faz o jantar. Senta-te no sofá e aguarda pacientemente aquele afago, aquele braço pesado nos teus ombros, que te aquecem, enquanto veêm juntos um qualquer programa de televisão.

<Texto de Sofia Varge para Fotografia de Paulo Pimenta>