Uma Imagem Vale Mil Palavras, Mil Caracteres Uma Imagem – #10

 

memorias paulo pimenta

Numa sexta-feira, que não a 13, antes de lamentar o dia pela janela do quarto – lamento-me simultaneamente de me lamentar, porque a minha vida de lamentos não tem nada – fui enfeitiçada por uma mulher que passava. Pensamentos beijaram-me o coração: A vida é uma viagem e há quem carregue ao ombro todos os sonhos. Os vividos, mas também os acorrentados, espelhados na tristeza do olhar. A mulher dava passos numa estranha forma de viver… sem vida, rendida ao congelamento do coração. Como se isso fosse inevitável! Nas brancas de um cabelo farto, sob um lenço castrador, contam-se histórias. Na sombra espalha-se a frustração de não ter ainda libertado os sonhos acorrentados e ganha-se coragem para renascer. O olhar preso ao chão. Não por indecisão ou medo, mas por se querer demorar nessa despedida de quem muito tempo viveu onde nunca pertenceu.
Surge delicadamente a luz. E a mulher triste arrancou o lenço, pousou a bagagem e dançou sem roupa… pela primeira vez com vontade!

< mil caracteres de Diana Vasco a partir das ‘memórias’ de Paulo Pimenta>