ACERT Contra Preconceito de Molenbeek (artigo de Miguel Torres)

Artes Performativas

 

Em Dezembro de 1991 vivemos na ACERT uma ventura extraordinária, chamada na altura “uma aventura para a comunicação”. Esta aventura partilhada por muitos de nós foi construída em parceria com a Association de Jeunes Marrocains, associação que tinha a sua base no bairro de Molenbeek, em Bruxelas.
inclusao

Este bairro, o Molenbeek, é aquele que nos é agora apresentado como o “ninho de terroristas na Europa” e que para nós foi um ninho de uma experiência comunitária única:
na forma como fomos acolhidos e conduzidos por Bruxelas, por uma comunidade solidária;
na forma como em conjunto construímos um espectáculo com base em improvisação sobre o racismo, que estabelecia confluências nos sinais da cultura Mediterrânica; 
na forma como partilhámos princípios de comunicação e parceria entre grupos de jovens;
na forma como celebrámos a aventura de um projecto Europeu, que nos abriu os horizontes para a partilha entre diferentes comunidades para construir um mundo melhor;
no sonho de uma Europa inclusiva, que nos permitiria a todos, os de cá e os que vêm, viver em comunidade e na celebração da paz e felicidade comuns….

Tudo isto foram coisas que construímos com os jovens de Molembeck, tudo isto vivemos nós, os de Tondela, com este grupo incrível de gente!
A Europa como ideal de vida comunitária sem barreiras, a não ser as para a intolerância, tem que ser o futuro. Não podemos ficar “agarrados” a medos que nos querem impor como diz Francisco Seixas da Costa “….O objectivo dos terroristas é perturbar o nosso sistema de vida, torná-lo tributário dos medos que nos infundem. Quando a nossa Liberdade vier a ser posta entre parêntesis por virtude de ataques como estes, os terroristas terão ganho uma importante batalha”.
Viva a liberdade, viva a democracia, abaixo o terror!

inclusao 2